Newsletter

Receba todas as nossas novidades. >>
BIODIVERSIDADE  >  Fauna  >  Comunidades Aquáticas  >  Peixes  >  Truta-de-rio/Truta-fário (Salmo truta)

Truta-de-rio/Truta-fário (Salmo truta) (Linnaeus, 1758)







  

Origem e distribuição
Espécie originária da Europa. Em Portugal encontra-se nos rios do norte e centro do país e, mais a sul, no troço superior do rio Zêzere.

Características gerais
Cabeça e olhos grandes. Mandíbulas com dentes agudos e fortes. A maxila superior ultrapassa o nível posterior do olho. Coloração muito variável com a idade e o habitat. Geralmente dorso castanho a cinzento esverdeado, flancos esverdeados ou amarelos e ventre esbranquiçado ou amarelado. Corpo salpicado de manchas negras e vermelhas. Barbatana adiposa alaranjada na extremidade. Os adultos podem atingir os 40 cm de comprimento.

Longevidade
Até 15 anos.

Alimentação
Espécie muito voraz que se alimenta principalmente de invertebrados, larvas de insectos aquáticos e pequenos peixes.

Reprodução
A truta migra para montante em busca de zonas de postura onde desova entre Novembro e Fevereiro, em locais pedregosos, com águas pouco profundas, frias e bem oxigenadas. A fêmea escava o ninho no cascalho com ondulações do corpo e o(s) macho(s) que se encontra(m) junto a ela fertiliza(m) os ovos que a fêmea liberta (que podem chegar a ser 10 000). Os ovos desenvolvem-se no interior do cascalho e as pequenas trutas emergem cerca de três meses depois. Podem permanecer nas ribeiras de montanha onde vivem abrigadas das correntes junto a grandes pedras, apanhando a comida que passa na corrente.

Habitat
Peixe territorial, vive em águas correntes, bem oxigenadas, límpidas e frescas. É uma espécie muito sensível à poluição e à elevação da temperatura, vivendo geralmente em rios com boa qualidade da água.

Observações
Uma particularidade muito interessante das trutas (e dos salmões) é que memorizam características do rio em que nasceram, conseguindo quase sempre voltar ao mesmo local para desovar.
Esta espécie é muito sensível à poluição das águas, nomeadamente aos resíduos de pesticidas e herbicidas utilizados por muitos agricultores.